No mês de março de 2007, nos seus 458 anos, Salvador recebeu um presente especial: "Aurora da Rua", um jornal de rua que pretende tornar visível e audível, a face e a voz daqueles que muitas vezes são pouco vistos e pouco ouvidos na sociedade. Trata-se do "Aurora da Rua", um jornal que traz, pela primeira vez para o Nordeste, o conceito de "jornal de rua".

Com uma tiragem de 10.000 exemplares, a publicação é vendida exclusivamente por pessoas em situação de rua. Além de servir de fonte de renda, o periódico pretende ajudar também no processo de reinserção social dos vendedores.

Comercializado pelo preço de R$ 1,00, os vendedores ficarão com R$ 0,75 desse valor. A quantia restante será usada para pagar os custos e manutenção da publicação.


...jornal que traz, pela primeira vez para o Nordeste, o conceito de "jornal de rua".




A participação das pessoas de rua não está restrita à vendagem. Além de serem personagens do jornal, eles também contribuem ativamente na elaboração e na construção do conteúdo, através das oficinas de texto e de arte.

Você, leitor, terá a oportunidade de saber que o universo das ruas não se restringe apenas à dura realidade das praças, viadutos e calçadas, mas que também abriga beleza e criatividade, onde apenas enxergamos tristezas e dificuldades.

Esta é, portanto, uma das metas deste novo jornal: desvendar a Aurora que vem da Rua.

Realize este sonho: abrace esta idéia! Compre o jornal!

Imagem da capa do jornal "Aurora da Rua" edição número 7Grandes matérias construídas com a participação de pessoas em situação de rua. Através de oficinas de texto, que têm o acompanhamento de voluntários e de jornalistas, essa sessão envolve os moradores de rua. Eles são co-autores das matérias de capa.

O "Aurora da Rua" não é apenas uma publicação, mas um projeto de reinserção social.
O jornal se compromete com o processo de construção da auto-estima e com a formação das pessoas em situação de rua. Com esse objetivo, foi realizada uma semana de preparação e capacitação dos vendedores. Eles participaram da elaboração do Código de Conduta, que expressa o espírito do projeto.
A idéia é estimular uma postura responsável e comprometida dos vendedores.

Código de Conduta

Nós, vendedores do jornal "Aurora da Rua", entendemos que representamos o jornal e os outros vendedores enquanto vendemos o jornal "Aurora da Rua" ou estamos identificados como vendedores. Nossas atitudes refletem sobre todos e sobre o jornal. Por isso assumimos os compromissos seguintes como nosso:

  1. Ser vendedor é cuidar de si mesmo, respeitar os demais e manifestar nas atitudes este respeito. É não usar o nome do jornal para qualquer outro fim que não seja a venda.

  2. O vendedor deve estar sóbrio, não podendo em hipótese alguma estar sob efeito de álcool ou droga.

  3. Todo vendedor é formado, treinado e acompanhado pela equipe do jornal "Aurora da Rua" ou por instituições parceiras.

  4. Como vendedor, desejamos resgatar nossa dignidade através do trabalho e nos comprometer com nossa qualidade de vida.

Todos os vendedores são maiores de 18 anos.
São portadores de uma identificação, colete e crachá, usado em local visível.
Vendem o jornal apenas pelo preço de capa.

Foto de homem de ruaDiversidade é sem dúvida a palavra que melhor define essa sessão. Diversidade de temas e de matérias, que têm como ponto comum a abordagem sensível e humanizada sobre aquilo que acontece nas ruas.


Pessoas em situação de rua escrevem para o jornal e ganham seu espaço: é o olhar e o escrever da rua sobre o jornal.

"Aurora e a Turminha da Rua" é a divertida tirinha assinada por Marcos Queiroz. As aventuras de Aurora, uma mulher que conhece muito bem as ruas, apresentarão com humor e leveza o universo das ruas.

Nestas parábolas, você terá a oportunidade de descobrir o universo das ruas através das aventuras vividas por um personagem muito especial: Deus.

Foto Festival GeralPoesias, pinturas e desenhos são expostos nessa sessão, que deseja revelar um dom muito comum daqueles que estão nas ruas: a criatividade. Através de oficinas de arte realizadas nas praças e calçadas com a participação de moradores de rua, será estimulado o talento e a qualidade artística.
Será a oportunidade de mostrar que mais que dificuldades, a rua abriga a beleza.

Foto Gabriel Que luz brilha nas noites da rua? Que brilho surge do povo da rua?
Como o poste de energia nos indica o caminho na noite, homens e mulheres
em situação de rua podem iluminar nosso caminhar, ser espelho e luz para as nossas sombras...

Em cada edição, você encontrará o brilho de uma pessoa em situação de rua,
sua vida e seus sonhos, sua luta e suas alegrias...

Mª Lúcia Pereira, antiga moradora de rua, assina estas histórias com sensibilidade e humanidade: da noite da rua, surge o brilho da aurora...

"Deixe-se iluminar pelo Brilho da Aurora!"

Foto de homem dormindo no bancoFique informado com notícias sobre o que acontece pelas ruas de Salvador e do mundo.







Aurora da Rua

Nestas noites das noites da rua, eu canto a aurora...
Nestas noites escuras sem lua, eu canto a aurora...
Um sorriso de dor, a ternura... Aurora da Rua...

Aurora da Rua...    Aurora da Rua...

Papelão, cobertor, nas calçadas, eu canto a aurora...
Nas marquises, viadutos e praças, eu canto a aurora...
Acolhida, partilha abraçadas... Aurora da Rua...

~~~~~~~~~~~~

Nenhum lar, ninguém mais a seu lado, eu canto a aurora...
Humilhado, vencido, pisado, eu canto a aurora...
Encurvado enfim levantado... Aurora da Rua...

Aurora da Rua...   Aurora da Rua...

Nas prisões e nas garras das drogas, eu canto a aurora...
Adicção, dependências e morte, eu canto a aurora...
Nesta luta, herói, tu és sóbrio... Aurora da Rua...

~~~~~~~~~~~~

Na violência sem lei e sem dor, eu canto a aurora...
Violentada... Queimado... Pavor! eu canto a aurora...
Na ternura, partilha da dor...  Aurora da Rua...

Aurora da Rua...   Aurora da Rua...

Uma luz, no escuro, cintila... Aurora da Rua...
Uma fé, nesta noite, ilumina... Aurora da Rua...
O Amor, como sol, ressuscita... Aurora da Rua...


Irmão Henrique, peregrino da Trindade



Ao ler o jornal, o leitor é convidado a um novo olhar sobre a rua e seu povo. O jornal espera provocar uma mudança de atitude no leitor. Não quer ser apenas veículo de informação, mas também agente de transformação de uma realidade desumana.


Ao adquirir o jornal, o comprador participa de uma transformação da sociedade. Ele gera inclusão social. Não compra apenas um produto comercial, mas um produto social. Ele faz parte do projeto e sua fidelidade na compra do jornal garante o sucesso do projeto.
Aurora da Rua © 2007